terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Geramos amor

Parte do amor que existe de uma pessoa para outra parte da própria necessidade de amar. Quando um homem ama uma mulher, especialmente no inicio de uma relação, esse amor é alimentado e gerado pelo próprio homem. Inconscientemente escolhemos quem queremos amar. Esta criação de amor é um dos factores que nos incentiva a tentar e não desistir mesmo quando a outra pessoa parece não corresponder.

Um óptimo exemplo deste amor “inventado” é o amor por um recém-nascido ou mesmo pelo um feto que ainda se encontra na barriga da mulher. Alguns de vós provavelmente conhece histórias verídicas de alguém que perdeu o seu bebé mesmo antes de ele nascer… essas pessoas passam por um período de infelicidade imensa, algumas chegam a ter traumas para o resto da vida, porque perderam alguém que amavam incondicionalmente.

Por isso pergunto eu: Como é possível amar alguém que ainda “não existe”? Como é possível haver tanto amor e uma devoção tão grande por alguém, que mesmo que nasça, não consegue sequer responder ou perceber tudo o que se passa à sua volta?

Amor por “Deus” é outro amor gerado. Deus não nos ama assim como um bebé não nos ama, contudo isto não nos impede a devoção total a este “one-sided love”. E se pensamos que é recíproco é porque no nosso mundo, na nossa ilusão o “outro” sente o mesmo ou pelo menos reconhece a situação.

Parece-me que cada pessoa tem uma cota parte de amor para “dar”, quase como um empréstimo. Para quem passou por um grande amor… não desesperem… somos “amáveis”, até ao fim da vida temos a oportunidade de amar vezes sem conta, porque lembrem-se, metade do caminho parte de nós… apenas precisamos de encontrar uma gata borralheira porque a parte da perfeição, o feitiço, a carruagem e o castelo somos nós que imaginamos.

“It’s our own illusion that blinds us from the truth. It’s our expectations that bring us down. It’s our need that kills us.”

4 comentários:

BlOoDy MaЯy disse...

bonito sim senhora! mas prá próxima em vez de comentar sobre a musica, comente o post sim menino rui, xD, beijinhos

ButterFly disse...

Essa necessidade de amor é facilmente justificavel: quem nao gosta de receber miminhos! e encontrarmos felicidade ao darmos carinho a outros é bastante saudavel, faz nos bem sermos altruistas:)!

é claro que também temos a necessidade de acreditar em algo...
Falando por mim, o meu Deus é o amor!E nele que eu acredito!Sei la, isto há malucos para tudo!

E tu acreditas em quê?

Beijinho*****

Ti disse...

O amor existe só porque sim...
Não há explicação cientifica para ele, embora muitos o tenham tentado explicar através das hormonas.... Na verdade, nós amamos só porque sim!
Falas em "gerar" amor, mas, na verdade, nem tu sabes porque é que escolhes uma pessoa e não outro, porque é que as loiras te agradam mais que as morenas (:P), porque é que gostas mais de chocolate do que azeitonas, na verdade ninguém sabes explicar porque,como e quando se ama, ama-se e pronto, não se pensa sobre isso ^^

Di disse...

quando é que voltas?

volta =)